quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Quebra-cabeça

A coesão entre as diversidades de um quebra-cabeça é que forma sua imagem. Apenas uma peça faltante ou fora do lugar e ela não será emitida em sua plenitude.


Matheus Viana

Toda vez que vou à casa dos meus sogros contemplo o belo quadro de uma paisagem inebriante. Um bangalô à margem do Mar do Caribe de um azul estonteante que me faz, de súbito, ser transportado pelas vias da imaginação àquele lugar paradisíaco.

Contudo, esta experiência não seria possível se o quebra-cabeça que o forma não estivesse completo. Apenas uma peça faltante ou fora do lugar e o quadro não emitiria a imagem em sua plenitude. Somente Deus, eu, e minha esposa sabemos o quanto foi árduo e extenuante o processo de montagem. Nada mais, nada menos do que 2000 peças.

Confesso: a parte do céu foi a mais difícil. Mais de 300 peças com a mesma tonalidade de cor. As que se diferenciavam entre si eram de azuis muito próximos. Os formatos das peças também eram bastante semelhantes. Durante esta verdadeira expedição, pude meditar na verdade de que cada ser humano tem um lugar específico no grande quebra-cabeça chamado Corpo de Cristo (I Coríntios 12:7). Qualquer um que nele não se encaixar fará com que a imagem que dele emana não seja emitida, e a humanidade não poderá desfrutar dos benefícios oriundos de contemplá-la.

Por isso, Jesus fez a seguinte oração: “Rogo também por aqueles que crerão em mim, por meio da mensagem deles, para que todos sejam um, Pai, como tu estás em mim e eu em ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste”. (Evangelho segundo João 17:20-21).

No entanto, unidade não significa, de maneira nenhuma, ocupar o mesmo lugar nem tampouco realizar a mesma função. A coesão entre as diversidades é que forma a imagem de um quebra-cabeça. Imagine se colocássemos as peças que compõem o mar, na parte inferior da imagem, juntamente com as que formam o céu, na parte superior, ou vice-versa? Não seria possível montá-lo e, consequentemente, a imagem – ou mensagem - não seria emitida. É o que tem acontecido com a Igreja de Cristo. Muitas ‘peças’ não têm discernido e, por isso, não ocupam seus devidos lugares. Uma ou mais peças encaixadas indevidamente comprometem a montagem de todo o quebra-cabeça.

Certa vez fui alvo de um disparate onde o detrator vociferava que me dispunha somente a escrever. Elaborei, em seguida, um texto onde salientei a importância dos livros do Evangelho segundo Lucas e de Atos dos Apóstolos para o fechamento do cânon bíblico e do cristianismo como um todo. Ambos escritos por um homem cuja “mera” contribuição para a disseminação da imagem chamada ‘Evangelho de Cristo’, segundo a Bíblia, foi apenas escrever. Nada mais do que isso. Lucas discerniu o seu lugar e sua função no quebra-cabeça. E, por isso, logrou êxito em sua missão...

Conheço bem o meu lugar predestinado por Deus desde o ventre materno (Salmos 139:16, Jeremias 1:5, Romanos 8:29) e suas atribuições. É o que tenho feito, apesar dos levantes. Não vou permitir que me encaixem – ou tentem encaixar – em outro lugar. Descubra o seu e o ocupe o mais rápido possível. Pois esta “simples” ação culminará no cumprimento da profecia que diz: “A ardente expectativa da criação aguarda pela manifestação dos filhos de Deus”. (Romanos 8:19). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário